Imagem capa - Na contramão - Caminho da Fé - Parte 01 por Valeria Figueiredo
peregrina

Na contramão - Caminho da Fé - Parte 01

Caminho da fé dia 16-09-2018

 Na contramão - Caminho da Fé


 Começou nossa jornada, ontem saímos de Aparecida em direção a Ribeirão Grande, bairro de Pindamonhangaba - escolhi voltar para Chácara Dois Leões - onde a Tati e o Jorge já haviam nos recebido em 2016.

Para quem não conhece a história, eu e minha amiga Milena, percorremos o caminho da fé em Junho de 2016, a partir de Águas da Prata. Neste percurso conhecemos o cão peregrino que nos acompanhou e nos divertiu muito por mais de 170km. Na chegada a Aparecida tudo fluiu para que ele ficasse comigo. Tem um relato onde conto detalhes da época na página oficial da Associação do Caminho da Fé.

Aconteceram muitas mudanças na minha vida nestes dois anos,   Mudanças que vieram com sofrimentos, rupturas e também alguns resgates. Inevitavelmente tive que olhar para trás para prosseguir. 

A vinda do cão peregrino para minha história, fez com que eu nunca esquecesse da esperança e do renascimento. Ele teve uma chance e agarrou! Todos os dias, sem falhar, ele demonstra sua gratidão e alegria.

A gente passeia lá na Serra da Cantareira onde moramos e todas as vezes o caminho da fé vem a minha cabeça, porque este cãozinho não me deixa esquecer, foi por isso e por tudo que estou vivendo que tirei um período para me reconectar com a minha fé, alegria de viver, e olhando para trás, o Caminho é o lugar com todas as condições para essa libertação que tanto preciso.

É uma viagem bem pessoal e por isso o único a me acompanhar é ele, que tem uma história muito forte no caminho, que sim é um cachorro, bicho com todos os instintos, que também é muito meu amigo, guerreiro pois foi preciso muita força da parte dele para se adaptar à nova família.

Eu escolhi percorrer o caminho do contrário, de Aparecida a Águas da Prata e tudo isso já é realidade! 

Saímos ontem de Aparecida, com a companhia de  pessoas que me amam, minha irmã, mãe, também meu irmão que não pode ir, mas também me ajudou e ajuda muito. Tive a honra de conhecer pessoalmente a Camila Bassi da Associação que ouviu minha história e me inspirou mais a dar continuidade - também tive um grande incentivo de alguns amigos que sabiam e que me apoiaram  para  dar início neste projeto que escrevi no começo deste ano. Minha motivação primeiro foi minha vida, e segue com uma mistura do meu passado, meu ofício de fotógrafa que  amo e o mais importante o cão peregrino. 

Na contramão porque quero olhar para trás - para mim é importante, mesmo que além das alegrias venham outros sentimentos. Dessa vez carrego mais peso, água para dois, comida para dois e minha máquina fotográfica porque vou fotografar. O protagonista deste documentário é o cão peregrino. Vou em busca de imagens dele em conexão com o lugar de onde estão suas raizes, por isso ele também vai olhar para trás e com isso corro todos os riscos de conhecer mais sobre ele também.

Na contramão porque vai nos proporcionar mais encontros, e essa frase foi alguém que me disse no caminho passado, encontros com o novo, reencontros, um olhar diferente sobre o que já conhecemos.

O caminho da fé é um desafio, na contramão mais desafiador ainda pra mim.... e já descobrimos parte disso ontem - estamos agora na Chácara Dois Leões e seguiremos para Pinda ...Ja tenho uma ótima história para contar dessa primeira parte, mas por enquanto só vou dizer que estou disposta a seguir, e o cão Peregrino também. Obrigada pelo carinho de todos! Suas orações são muito importantes.

Aqui meu relato em 2016 para quem não conhece, porém quer saber desde encontro com este amigo.

@dog_peregrino ( Instagram do dog) e meu relato de 2016 está no insta do dog